Make your own free website on Tripod.com
XII Copa do Mundo da FIFA - 1982
Harald Schumacher
Home

950504ml5.jpg

Harald Anton Schumacher (Düren, 6 de março de 1954) é um ex-goleiro que defendeu a seleção da Alemanha Ocidental nas copas de 1982 e 1986.

Apesar de ter sido um dos maiores goleiros dos anos 80, vitorioso na Eurocopa 1980, bom defensor de pênaltis em Copas e duas vezes finalista do torneio, é mais lembrado por sua trombada no francês Patrick Battiston, na Copa de 82. Este, que acabara de entrar no jogo, estava pronto para marcar, quando o goleiro saiu com tudo para salvar o gol. Battiston conseguiu tocar a bola, mas foi atingido violentamente por Schumacher, a bola foi indo em direção ao gol, mas foi para fora. Battiston ficou desacordado, e foi para o hospital.

Harald Schumacher após o lance ficou fazendo uma sessão de alongamento, pois o jogo ainda não havia acabado. O francês jazia pálido no chão, e seus colegas não sentiam seu pulso, chegando a achar que tinha morrido. Incrivelmente, o árbitro do jogo, o holandês Charles Cover, não deu ao goleiro alemão sequer um cartão amarelo. Felizmente, as lesões em Battiston resumiram-se a uma concussão cerebral e à perda de dois dentes.

O jogo terminou 1 x 1, e foi para a prorrogação. No tempo extra os franceses venciam por 3 x 1, até que o espirito alemão entrou em campo, e Fischer e Rummenigge empataram. O jogo foi para os pênaltis, e Schumacher defendeu duas cobranças, levando sua seleção para a final. Mais tarde, Battiston perdoou Schumacher, que foi inclusive convidado para o casamento do francês. Em entrevistas atuais, entretanto, Zinedine Zidane e Youri Djorkaeff ainda condenam o jogador alemão pelo ato que cometeu.

Após encerrar a carreira, lançou um livro em que denuncia a prática de dopping nos clubes e na seleção da Alemanha durante seus tempos de jogador, história depois confirmada por seu ex-colega Paul Breitner.

Harald Não tem parentesco com o supercampeão de Fórmula 1 Michael Schumacher e o irmão deste, Ralf. Um grande fã de futebol, Michael, muito tempo antes de alcançar fama e glória nas pistas, tentava se firmar na equipe de seu colégio, mas era considerado um jogador fraco. Para angariar respeito, chegou a espalhar entre os colegas que era sobrinho do goleiro da Seleção Alemã.

volta à página inicial